Estudo: Esperma de europeus está a perder qualidade

Um estudo científico realizado em vários países, deixou o aviso que, nem tudo vai bem com os homens europeus, especialmente com a qualidade do seus espermatozoides, que no passado meio século não tem parado de piorar. Em qualidade e quantidade.

Nos últimos 50 anos a qualidade dos espermatozóides europeus piorou a olhos vistos. As razões são as de sempre: tabaco, stress, obesidade, e claro, contaminação ambiental.

O tema começou a preocupar a comunidade cientifica em 1992, com a publicação de um estudo no British Medical Journal sobre a perda da qualidade do sémen a nível mundial.

O moroso trabalho de investigação foi feito analisando 61 trabalhos e recorrendo aos dados de 15 mil homens.

O estudo acabou por revelar que durante estes anos, o número de espermatozóides por mililitro ejaculado baixou de uns pujantes 113 milhões para uns magros 66, o que dá uma diminuição anual muito perto de 1 por cento (o mínimo estabelecido pelos padrões da Organização Mundial de Saúde é de 20 milhões de espermatozóides por ejaculação).

Os países participantes neste trabalho foram a Dinamarca, Finlândia, França, Espanha, Reino Unido, Suécia, Lituânia, Estónia e Letónia.

Expresso

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *