Quiseram-me fazer passar mal, mas quem não deve não teme

O internacional português, Cristiano Ronaldo encara a eleição de melhor jogador do mundo em 2016 como uma bofetada de luva branca a todos os seus detratores.

Houve muitas dúvidas e muitas campanhas contra mim, dentro e fora do futebol. Queriam atacar-me por todos os lados, mas a verdade é que o prémio `The Best´ foi para o the best, que sou eu”, sentenciou o jogador do Real Madrid  em declarações ao programa El Larguero, da rádio espanhola Cadena SER.

Ronaldo diz-se vítima de uma campanha orquestrada no caso da suposta evasão fiscal.

Quiseram-me fazer passar mal, mas quem não deve não teme. As bocas voltaram a calar-se outra vez, como sempre. Se tivesse de pagar os 15 milhões que diziam… Diverti-me imenso com os ignorantes que não sabem o que dizem, mas ao mesmo tempo fiquei triste porque faço as coisas bem e ajudo muita gente. Escolheram-me para esconder as coisas más que outros fazem, mas a Justiça faz sempre justiça“, vincou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *