Nyusi Anuncia vagas de emprego para jovens de Cabo Delgado

A multinacional petrolífera Anadarko vai recrutar, nos próximos meses, mais de cinco mil pessoas, maioritariamente jovens nativos do distrito de Palma, em Cabo Delgado, para as obras de construção da fábrica de liquefacção de gás natural.

O facto foi anunciado ontem pelo Presidente da República, durante um comício popular que orientou na vila-sede daquele distrito, no quadro da visita de trabalho que efectua à província de Cabo Delgado.

Em breve, segundo Nyusi, a firma norte-americana vai apresentar o correspondente plano de recrutamento ao Governo.

“Foi a nosso pedido porque temos de saber o tipo de mão-de-obra que a empresa pretende recrutar, para formarmos jovens que possam aceder às oportunidades de emprego na empresa. A Exxon Mobil também nos deve apresentar o seu plano. Como sabem, em 2020 as obras de construção da fábrica devem iniciar”, indicou o Chefe do Estado.

Nyusi respondia assim a uma inquietação apresentada pela população, segundo a qual os jovens nativos não têm tido oportunidades de emprego nas multinacionais que operam em Palma na área de hidrocarbonetos.

Na ocasião, o Chefe do Estado chamou atenção sobre o perigo de haver pronunciamentos que fomentem tribalismo e regionalismo, devido à falta de oportunidades de emprego.

“Não há um país ou região que se desenvolve apenas com os nativos. Aqui existem professores, enfermeiros e outros que não são daqui. Mesmo a Anadarko, Eni não são daqui. Se continuarem a dizer e a pensar só no ‘nós’, Palma não vai desenvolver”, disse o Presidente.

Sobre as incursões de grupos armados na região norte da província de Cabo Delgado, o Presidente da República e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança (FDS), assegurou que estas nunca vão parar de perseguir os insurgentes, em protecção dos cidadãos.

Segundo Nyusi, o grupo que aterroriza Cabo Delgado é composto por nacionais, na sua maioria jovens, “enganados por alguns estrangeiros que querem desestabilizar Moçambique”.

O Presidente da República disse que o Governo sabe que muitos jovens que integram o grupo foram recrutados nos postos administrativos de Quionga, Olumbi e Pundanhar, no distrito de Palma.

“Sabemos que no grupo há jovens e adultos enganados por gente que não vai ao mato; matam cidadãos indefesos com a promessa de que, se forem mortos, terão felicidade no céu. Não há nada disso! Não há religião que defende morte de pessoas para ser feliz no céu. Por isso, sejam unidos para que os bandidos não tenham campo aqui em Palma e em outros distritos”, apelou, acrescentando que a zona costeira é que se tornou permeável à penetração de grupos malfeitores.

“Isso não está a acontecer nos distritos do interior. Os malfeitores usam a religião para enganar os jovens e recrutá-los. Em Nangade, por exemplo, os bandidos estão a enfrentar dificuldades de penetração nas aldeias porque a população está unida e não se deixa enganar. Façam o mesmo aqui, denunciem as movimentações dos malfeitores às autoridades”, apelou.

Vagas De Emprego Abertas Nesta Sábado (30 De Junho De 2018)

Jornal Notícias

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *