Cidadão que arrastou agente da Polícia de Trânsito entrega-se à Justiça

Loading...

Dez dias depois, o homem que arrastou uma agente da Polícia de Trânsito na cidade de Maputo entregou-se à Justiça.

Em decla­rações à imprensa, Xisto Conge disse que naquela ocasião esta­va nervoso, porque no mesmo dia viajava para Inhambane, onde ia participar na missa fú­nebre do pai. “Tudo começou quando estava no semáforo a falar ao telemóvel. A agente apareceu e bateu no vidro do carro, assustei-me.

Pensei que fosse um ladrão, mas depois apercebi-me que era uma agente de trânsito”, expli­cou o jovem, acrescentando que a agente não foi compreensiva. “Ela pediu-me os documentos e naquela atrapalhação não en­contrava os documentos. Pedi que pudesse sair dali, uma vez que estava a causar congestiona­mento.

Pedi que saíssemos daquele local, mas ela insistiu que devia ser naquele local, então, avan­cei. Quando a viatura estava em movimento, ela segurou no capô e continuei”, disse o jovem.

O jovem contou que, depois do sucedido, viajou à Inhambane, onde participou na cerimónia, após voltar decidiu entregar-se à justiça. De acordo com a policia o jovem apresentou-se na 1ª Esquadra  da cidade de Maputo disse que pretendia indemnizar a agente pelo mal que causou durante as suas declarações, o automobilista disse que estava arrependido e que na justificava a sua acção. “A partir do momento em que a gente se colocou a frente do carro, devia ter parado, mas infelizmente na parei”.

De acordo com agente que se apresentou, ontem com escoriações, resultantes do arrastamento, o jovem tinha intenção de a ferir “depois de o semáforo abrir ele pós o carro a movimentara-se em minha direcção e bateu nas minhas pernas, naquelas circunstâncias não tinha condições de escapar decide pular e mantive-me no capô do carro. Dali, acelerou  a viatura, eu em cima assegurando o capo saímos da Av 24 de Julho em direcção a guerra Popular e fomos ate avenida Filipe S. Maguia. A partir daquele lugar, começou a fazer ziguezagues para que eu caísse. Desequilibrei-me  e começou arrastar-me, mas continuei assegurar o capo entretanto a dado momento, abrandou a a velocidade, vi que dava para saltar a viatura e assim procedi” descreveu

O porta voz da PRM Orlando Mudumane

Disse que apesar da atitude da agente ter sido inadequado na nada justifica o comportamento automobilista, que colocou em risco a vida da agente. O individuo esta detido e poderá responder pelos seus actos

 

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *