NINI SATAR diz que Mocambique pode entrar em colapso a qualquer momento

Momade Assife Abdul Satar, mais conhecido por Nini Satar, diz que Moçambique pode entrar em colapso a qualquer momento, Confira a seguir as declarações.

Uma análise feita por mim NINI SATAR

Já não se pode disfarçar; a economia moçambicana está na fase mais “alucinante” de sempre. os factos da derrapagem, dia mais, dia menos, poderão ser encontrados na mesa do mais comum moçambicanos!

A subida astronímica do dólar face ao metical já esta a criar grandes problemas para o País , visto que 90% dos produtos em Maputo são importados, e 90% da matéria prima dos produtos fabricados em Moçambique são importados.
Ó combustível vai subir, o pão vai subir, a sexta básica vai subir, o salário mantém se!!!

O governo já foi ao Fundo Monetário Internacional (FMI) se endividar em nosso nome colectivo …
A portas internas temos um país em ameaça latente de guerra. Por conta dessa ameaça Moçambique é um dos países mais instáveis do mundo! Quem tinha valores minimamente consideráveis, numa conta meticais a uma semana perdeu 30% só por guardar, isto é absurdo!!!
Os bancos já estão em colapso só que ainda não declararam porque não terão o contra valor para devolver os seus clientes.
Como sabem as vezes os bancos comerciais inventam falta de sistema porque não tem “cash flow” esperam depósitos, depois volta o sistema.
O que podemos esperar nos próximos dias, é falta de sistema de nos bancos, para criar pretextos para que não se levante valores.

Eu Nini Satar garanto que numa pesquisa – repleta de patriotismo – feita por mim que se todos clientes dum balcão forem levantar valores e encerrar as contas num único dia, o banco não terá liquidez.

Hoje em Moçambique é um risco ter dinheiro no banco e mais risco ainda é guardar meticais que já é uma moeda sem valor.

O Dólar já está na casa de 60 meticais, absurdo e exagero, hoje 5 mil dolares sao 300 mil
Meticais a menos de um ano 300 mil meticais eram 10 mil dólares.
Estamos a falar de uma subida de 100%.
Então a vida em Moçambique em de menos um ano dobrou os custos.

Conforme uma conversa que tive hoje com um alto funcionário da FMI disse que a depreciação do metical está excessivamente alta, disse ainda que o Dolar devia estar na casa dos 45 meticais e não 60 meticais.
Isto causará uma falência de grandes empresas e bancos.

Vejamos:

Um banco faz um empréstimo de taxa máxima de 24% ao ano incluindo prime rate, veja que se houve uma subida de 100% do dólar o que o banco ganhou??
Se em um ano houve uma desvalorização de 100%.
Em janeiro deste ano o dólar estava oficialmente 31 meticais.
O dinheiro continua na mão do cliente, o cliente ainda poderá fazer a reprogramação da dívida uma vez que poderá arranjar argumentos de falta de negócio, o banco por sua vez é obrigado a renegociar com o cliente.

Como sabem a maioria dos balcões dos bancos são alugados, os contratos são feitos em Dólares, só aí imaginem quanto os bancos estão a perder.
Se até agora não apareceu nenhum banco declarando falência é porque não terá liquidez para devolver aos clientes, estão apenas adiar um problema, assim como aconteceu na América com o maior banco Lehman Brothers, que adiou problemas durante anos.

No fim do ano vamos ouvir que o nosso estado vai emitir obrigações de tesouro para salvaguardar o bom nome do estado, mas na verdade o estado está enterrar se mais e endividar se mais.
Temos a divida de cahora bassa que ainda está por se pagar, temos a divida de ematum que funciona num minúsculo contentor encostado numa parede do porto em Maputo, através deste minusculo contentor foram cancelados documentos de 800 milhões e usd.

Aconselho que devemos cair na realidade e não adiar os problemas, porque cada dia o buraco é maior, quanto antes mais fácil de resolver…

Os comerciantes que alugaram imóveis, terão problemas porque os inquilinos não conseguirão pagar, se alguém alugou uma loja por mês, pagava em dólares e saia a 150.000 meticais hoje pelos mesmos 5 mil dólares terá que desembolsar 300 mil meticais, coisa impossível de ganhar num simples estabelecimento, este terá que renegociar o contrato ou cancelar.
Esta crise está afetar a todos moçambicanos em todas áreas.
E se continuar assim Moçambique será como Zimbabwe, para um pão teremos que ir com uma mala de dinheiro.

“Este texto não foi editado é um pensamento rápido que resolvi escrever”

 

Momade Assife Abdul Satar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *