Sócios do Desportivo de Maputo chumbam contas e adiam a eleição

Sócios do Desportivo de Maputo  chumbam contas e adiam a eleição

Após ter sido rebentado sábado o barril de pólvora dentro do pavilhão do Desportivo de Maputo, onde se realizou a assembleia-geral, o relatório de contas foi chumbado com um total de 34 votos contra e 27 a favor. A família “alvi-negra” decidiu que só se poderá constituir uma nova direcção depois de se efectuar uma auditoria independente às contas do clube e se esclarecerem todas as zonas de penumbra existentes no relatório e contas.

O futuro do Grupo Desportivo de Maputo esteve em cima da mesa na manhã do sábado último, na sede do clube,  aquando da Assembleia-geral Ordinária que tinha como principais pontos  de agenda a apresentação do relatório de actividades, apresentação e aprovação do relatório e contas e, por fim, a eleição de novos corpos gerentes  para o quadriénio 2016-2019.

Grispos assume ter havido erros de gestão

É um facto inegável que a gestão de Michel Grispos no Desportivo de Maputo tocou os extremos, depois de em 2006 ter feito a “dobradinha”, ganhando o Moçambola e a Taça de Moçambique e em 2012 ter sido despromovido da principal prova do calendário do futebol moçambicano. Aliás, os feitos alcançados pela direcção encabeçada por Michel Grispos não deixaram de ser exaltados pelos sócios na assembleia.

Na sua “defesa”, Michel Grispos assumiu terem havido alguns erros de gestão enquanto esteve à frente dos destinos do clube. O presidente demissionário fez questão de recordar aos sócios que teve que travar uma batalha forte para recuperar  as contas do clube, assim como também para adquirir o DUAT (Direito de Uso e Aproveitamento de Terra).

O ex-presidente do emblema alvi-negro disse ainda que muitas vezes teve que tomar decisões autónomas sem ter que consultar os sócios e ao mesmo tempo assumiu que um dos grandes erros da sua direcção foi de não ter pedido que se fizessem as auditorias das anteriores direcções, daí que no seu entender o mesmo não deveria ter acontecido com o seu elenco.

Michel Grispos disse aos sócios que aceita que se faça uma auditoria independente na condição de se fazer o mesmo desde o ano de 1990.

Além do relatório e contas não ter passado, Michel Grispos foi confrontado com gritos dos sócios a apelarem que justifique a forma como foi gerido o dinheiro da venda do campo e não só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *