Menor de 8 anos violada sexualmente na Matola “A”

Loading...

Menor de 8 anos violada sexualmente na Matola “A”

Era para ter sido mais um crime que terminaria em pune, mas deu tudo errado, tal como o acto. Um jovem de 19 anos de idade aliciou e violou sexualmente, no último Sábado, uma menor de oito anos de idade, no bairro Matola “A”, província de Maputo. Tudo aconteceu quando Edson Sitóe – depois do consumo de bebidas alcoólicas – chamou e arrastou a menor para a casa de banho e consumou o acto. Agora detido, conta que estava embriagado e não se lembra de nada. “Eu não me lembro de nada disso, só me recordo que chamei aquela menina para me comprar crédito, mas que depois desisti porque não tinha dinheiro trocado”, disse Edson

Em entrevista ao jornal O País, tio da menor confirmou o crime e disse que a menor teve medo de denunciar o violador. “Comecei a prestar atenção nela e apercebi-me que estava a andar com dificuldades. Perguntei o que estava a acontecer e depois de muita conversa ela disse-me que tinha sido violentada por um nosso vizinho. Fomos a casa dele para obter esclarecimentos e recusou-se a sair de casa, o que aumentou a nossa desconfiança. Chamamos a polícia e ele foi detido, o que nós queremos é justiça”, disse tendo acrescentado não há dúvidas da violação sexual. “Fomos ao hospital ontem (domingo) e neste momento (ontem) está no hospital com a mãe a receber tratamentos”

 

Assaltos outra preocupação do bairro

É nas ruas onde tudo acontece. De dia parecem inofensivas, mas à noite tornam-se em palcos férteis para a prática de vários crimes. Desde assaltos a residências, na via pública a violações são os crimes mais comuns no bairro Matola “A”. Fui interceptada por três jovens por volta das 22h. Ameaçaram-me com catanas e outros objectos contundentes e depois levaram a minha bolsa. A outra senhora que também usava a rua apertaram-lhe o pescoço e levaram todos os bens que ela trazia.”, disse Celeste Sitoi, residente do bairro.

Tal como Celeste, Julieta Tomo foi vítima dos malfeitores e conta que escapou por pouco à acção dos criminosos. “Saía de casa para fazer compras quando jovens portando armas brancas me interpelaram. Quando me apercebi que se tratava de criminosos gritei e apareceu um senhor e aqueles vendo a sua aproximação puseram-se em fuga”, contou.

 

Polícia diz que está intensificar patrulha.

Perante esta situação, a população diz que a polícia está a desempenhar mal o seu papel, pois se houvesse patrulhamento não haveria espaço para a acção criminosa. Ouvida pelo “O País”, a polícia a nível da província de Maputo disse que está a intensificar as patrulhas para devolver a tranquilidade às populações. “Temos colocados os agentes nas patrulhas todos os dias e em todos os bairros da Matola. Desse trabalho operativo três quadrilhas foram detidas totalizado 18 pessoas, recuperadas duas viaturas, algumas quantidades de drogas”, disse Juarce Martins, porta-voz da PRM a nível da província de Maputo.

A polícia entende que alguns criminosos podem estar bem inseridos na comunidade, o que dificulta a sua detenção. “O fenómeno criminoso é complexo, é preciso acreditar que alguns criminosos usam artimanhas que estão fora do controlo da corporação”, terminou Martins que garantiu que o trabalho nos bairros irá continuar.

A onda de criminalidade na província de Maputo tem assolado principalmente os bairros de Bunhiça, Trevo, Matola Gare, Nkobe.

 

Opais

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *