ULTIMA HORA: Governo e a Renamo chegaram a acordo sobre a Governação das seis províncias exigidas pela Renamo

Loading...

Governo e a Renamo chegaram a acordo sobre a  Governação das seis províncias exigidas pela Renamo

Segundo Canalmoz as delegações mantadas por Filipe Nyusi e por Afonso Dhlakama, reunidas nesta quarta-feira na presença dos mediadores chegaram a acordo sobre o Ponto Um da Agenda, referente a Governação das seis províncias exigidas pela Renamo.
Segundo a declaração da Comissão Mista lida pelo deputado José Manteigas e distribuída pelo coordenador dos mediadores internacionais, Mario Raffaelli, sobre a “Governação da Renamo nas seis províncias” as partes acordaram que devem ser encontrados os mecanismos legais para a nomeação provisória dos governadores provinciais oriundos do partido Renamo “o mais cedo possível”.
Ainda sobre este ponto, as partes acordaram que a preparação do referido pacote tem que ser concluída antes do final do mês de Novembro de 2016, devendo a Comissão Mista entregar o pacote legislativa à Assembleia da República através dos canais apropriados para a sua apreciação e aprovação. 
Bernardo Álvaro, da sede das Negociações.

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

One thought on “ULTIMA HORA: Governo e a Renamo chegaram a acordo sobre a Governação das seis províncias exigidas pela Renamo

  • Agosto 18, 2016 at 11:04 am
    Permalink

    É com maior alegria que acompanhei o entendimento alcançado pela comissão mista de negociação pela Paz embora ainda exista mais pontos por descutir é já bom começo. Pensando sempre o alivio do sofrimento do povo que nada culpa tem . Já pode conseguir deslocar para qualquer canto do Pais para a procura do seu sustento e pagar seus impostos sem prejuizo do bem estar no convivio familiar e o Estado. O ponto a seguir seria melhor que fosse de cessão do fogo (guerra) porque vidas humanas inocentes estão a morrer pela pobreza, guerra não declarada, a seca e estiagem da natureza no nosso Pais e ajudas não são suficientes para cobrir a todos.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *