Circular até 20 horas é estar sujeito a chamboco no rabo

Loading...

Administrador diz que a medida visa combater onda de criminosos mas a PRM assume e explica que o propósito é controlar a vila para não ser tomada pela Renamo.

Desde que os homens tidos como sendo da Renamo terem assaltado a vila sede de Morrumbala, a vida não voltou a ser a mesma. A vila ficou repleta de agentes das Forças de Defesa e Segurança que mobilizaram vários meios militares, o que faz com que a população circule e durma com medo. E mais, para piorar, já não se pode circular 24 horas na vila de Morrumbala, quem o fizer está sujeito a levar um chamboco no rabo.

A situação está deixar a população daquela via agastada e não compreende as motivações desta atitude das Forças de Defesa e Segurança. Aliás, outra situação que deixa os populares agastados tem a ver com sirene que as FDS ligam a altas horas da noite. Os restaurantes e casas de pastos são os principais alvos parte da polícia que decretou um horário de encerramento que é de 22 horas. Esta medida também abrange a pessoas singulares que já não podem realizar festas ou divertirem-se até altas horas da noite, sob pena de levarem chamboco.

Administrador desmente mas depois assume

Confrontado com a situação, o administrador de Morrumbala, Pedro Sapange começou por desmentir que tenha sido decretado um horário máximo para circulação na vila. Sapange disse em exclusivo ao Diário da Zambézia que pode-se sim circular até 22 horas, exemplo disso é da existência até agora de aulas do curso nocturno. Sobre a interdição de circulação, o administrador explicou que as autoridades tomaram essa decisão para conter onda de criminalidade que assola o distrito, onde os comerciantes são os principais alvos. “Circula muito dinheiro aqui devido a comercialização do gergelim, daí que é preciso manter ordem”– rematou Pedro Sapange.

PRM assume que há restrição na circulação

Face a esta situação, também ouvimos a Polícia da República de Moçambique através do Porta-voz, ficamos a saber que há sim esta medida, mas Jacinto Félix assegurou que não é de lei, mas sim, tudo visa controlar a ordem e tranquilidade públicas que tem sido violados pelos homens da Renamo. Félix foi mais longe ao afirmar que neste momento, os bares e casas de pastos tem sim um horário especifico e deu exemplo de Quelimane onde até 22 horas no máximo tudo deve estar fechado. Sobre os chambocos, o Porta-voz da PRM explicou que a se registarem estes casos, só pode ser excesso de zelo por parte dos agentes que estão no terreno, mas que não tem orientação para maltratar cidadãos, aliás, não é esta vocação da polícia. Refira-se que a vila de Morrumbala é tida como aquela que está na linha vermelha por parte da Renamo ao avaliar pela forma como as coisas tem acontecido naquela região da Zambézia.

Diário da Zambézia

 

 

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *