Salomão Moyana: Vogal ou “comentador político”?

Loading...

Moçambique é maningue nice!… Até o embaixador norte-americano que concluiu a sua missão em Moçambique, há alguns meses, deixou uma carta de despedida com este título: “Moçambique é maningue nice!…”

Este título foi sugestivo para mim, quando recentemente vi o ilustre jornalista Salomão Moyana, ex-director do semanário Zambeze de que é ou era proprietário, mas que deixou de nele escrever e assinar os saudosos editoriais, em virtude de ter sido eleito e empossado pelo Presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, ao cargo de vogal da Comissão Nacional de Eleições (CNE), a voltar ao seu lugar de “comentador residente” no programa “Pontos de vista” da STV, cujo apresentador é o ilustre jornalista Jeremias Langa.

Não obstante Salomão Moyana ter prestado relevantes serviços a Moçambique, desde professor em Cuba, não nos parece que ele pode estar acima da lei.

Se não vejamos: Ele é membro da CNE como vogal, representando a “Sociedade Civil” e goza de estatuto de vice-ministro da República de Moçambique com vencimentos em dia, correspondentes ao cargo. Mas, nos últimos tempos ele está, como afirmei acima, a violar a lei, flagrantemente, passando para comentador da STV no programa “Pontos de Vista”, transmitido todos os domingos, onde recebe “vencimentos”, violando assim a Lei de Probidade Pública.

Por outro lado, no programa do dia 28/08/16 com o apresentador, ilustre jornalista Francisco Mandlate, no qual interagiu com o renomado jornalista Fernando Lima, PCA da Mediacoop, Salomão Moyana comenta assuntos ligados ao processo eleitoral, entre outros, isto é, ao desenvolvimento do trabalho da “Comissão Mista” e dos “Mediadores/Facilitadores” também em matéria eleitoral, entre outros.

Existindo na CNE um “porta-voz da CNE”, não estará o jornalista Salomão Moyana a locupletar a função do seu colega?

Qualquer dia teremos o vogal Fernando Mazanga, que representa a Renamo na CNE, a virar “comentador político”?

O que diz o presidente da Comissão da Ética Pública, professor Doutor Jamisse Taimo ou sua excelência presidente da CNE, Sheik Abdul Carimo? O que diz a lei que cria a CNE? O que nos dizem os representantes da Frelimo na CNE a respeito desta matéria?

Esta “prostituição” (em meu entendimento) irá até quando, se é que há violação das leis por parte do jornalista Salomão Moyana? Como é que este figurino vai funcionar no período eleitoral?

Ou será matéria do presidente do Concelho Superior de Comunicação Social, Dr. Tomás Vieira Mário?

É minha ignorância, (que nós aqui de Sofala), porque as leis são feitas no Maputo, me suscitaram. Perguntar não ofende, mas dizem “dura lex sed lex…” – dizia o meu primo que andou a estudar latim lá no seminário Amatongas, que “a lei é dura mas é lei”.

Vamos debater isto porque: “Moçambique é maningue nice” Não é altura de ver, ouvir e calar, porque a democracia que a Frelimo nos trouxe é com debate de ideias e não com armas.

Está aberto o debato

José dos Santos Gotogo

Jornal Noticias

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

One thought on “Salomão Moyana: Vogal ou “comentador político”?

  • Outubro 11, 2016 at 10:33 am
    Permalink

    Democracia que frelimo trouce kkkkkkkkk so da para rir mesmo como que frelimo tras democracia e nao deixa democracia em vida?

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *