Maradona descreve Fidel Castro como “um segundo pai”

O antigo futebolista Diego Maradona lamentou a morte do ex-presidente de Cuba, Fidel Alejandro Castro Ruz, que  morreu na madrugada deste sábado em Havana.  Maradona classificou como “o maior” e que era como “um segundo pai”.

“Ligaram-me de Buenos Aires a dar a notícia da morte daquele que era o maior e fiquei em choque. Fidel Castro morreu e eu estou muitíssimo triste, porque ele era como um segundo pai para mim”, afirmou Maradona, que se encontro em Zagreb a assistir à Taça Davis.

“Morreu o meu amigo, meu confidente e que me aconselhou, ele que me ligava a qualquer hora para falar de política, de futebol e de basebol, ele que me disse que quando saísse Clinton viria um pior, que foi Bush. Como nunca se enganou, para mim, Fidel é, foi e será eterno, o único, o maior. Dói-me o coração porque o mundo perdeu o mais sábio de todos”, escreveu Maradona na sua página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *