NINI SATAR: “Sempre disse e continuo a dizer que sou grande mesmo”

Comunicado de imprensa

Fui surpreendido na noite de 25 para 26 de Abril com vários e-mails e várias mensagens de whatsapp de um alegado comunicado de imprensa da Procuradoria Geral da República (PGR) com o número 04/PGR.

Esse comunicado esta a criar grandes alaridos no seio dos meus amigos, fãs e no meio familiar. Sempre disse e continuo a dizer que sou GRANDE MESMO. Moçambique é um país com cerca de 23 milhões de pessoas e o comunicado da Procuradoria aparece com o número 4.

Quer dizer que no nosso país Moçambique, não existem outros processos além de que falam de Nini Satar?

O nosso país Moçambique entre centenas de processos na procuradoria geral de grandes figuras envolvidas com destaques até membros do governo, mas a PGR nunca se dignou a emitir comunicados de imprensa para dar a conhecer o povo moçambicanoa realidade do país. O povo moçambicano como sempre acaba por apanhar noticias a conta gotas em alguma imprensa. Recentemente foram instaurados processos contra Proindicus, MAM e Ematum que levaram o país a falência total até chegar o país estar em incumprimento de pagar as prestações das dividas contraidas. Houve uma desvalorização da moeda na ordem dos 100 por cento em 14 meses, mas a procuradoria nunca se dignou em emitir comunicados de imprensa, mas veio a fazer um comunicado exactamente no dia do meu aniversário. Para o azar deles eu já tinha cortado o meu bolo de aniversário e já estava a dormir quando comecei a receber os e-mails deste comunicadp. Abri os e-mails com um olho aberto e desliguei a ficha, porque para mim o sono é sagrado

Vamos a questão do comunicado

O dito comunicado de imprensa com o número 04PGR fala da fuga de um recluso chamado Coutinho que ocorreu perto do edificio da PGR. A procuradoria sabe perfeitamente que aquilo não se tratou de uma fuga, mas sim de um assassinato. A procuradoria sabe perfeitamente que qualquer recluso que sai das celas do comando, sempre sai escoltado com mais de duas ou três viaturas isto refere-se a qualquer recluso que esteja no comando. Se existe um audição que não seja tão importante e de caracter urgente, os procuradores deslocam-se ate ao comando para ouvir o arguido ou réu, para evitar muitas sirenes nas ruas. E diz-se por ai que o tal José Coutinho ia para a 1 esquadra para ser ouvido num processo qualquer “Tudo mentira”.

Como podem ver nas fotos em anexo, as tais pessoas que foram tirar o José Ali Coutinho foram com intenção de matar e não de fazer fugir. Perfuraram a viatura no local exato onde estava sentado o recluso. Esta claro que José ali Coutinho morreu e a procuradoria sabe disso e a procuradoria insiste em fazer comunicados para distrair a mente do povo. Bandidos não jogam 20/30 balas perdidas, mas sim policias, disse um dia o criminalista Jorge Frangoulis. Os modos operandis são os mesmos da morte de Giles Cistac, Dinis Silica , Paulo Machava e agora Coutinho e a procuradoria nunca fez nenhum comunicado sobre o estágio desses processos.

Sobre tais processos que a procuradoria fala no comunicado 04PGR, nenhum processo transitou em julgado, muito menos foram para julgamento logo a priori, estes cidadãos gozam da presunção de inocencia, tudo isto vem na constituição da república.

Parece que os nossas procuradoras são mesmo estagiárias, falam de processos que nem foram a julgamento e começam a difamar o nome das pessoas, um deles já nem existe no mundo dos vivos, que é o José Ali Coutinho.

Sobre mim Nini Satar fala-se da revogação da liberdade condicional. Que isto esta a mexer com todo o pais. Por isso estou a receber milhares de e-mails. A procuradoria sabe e o próprio tribunal sabe que todo o despacho do juíz é recorrivél para o tribunal superior de recurso onde estão tres juizes desembargadores. Logo esta revogação não me preocupa e nem me afecta. Logo que o meu advogado for notificado, vou recorrer até a decisão superior junto aos três juizes desembargadores e tenho a certeza que lá não entram as meninas da procuradoria com sais curtas e justas para revirar a cabeça do juiz. Como já me tinha alertado Unay Cambuma, um dos usuários do Facebook, num dos seus posts do dia 9 de Abril que dizia que as procuradoras estavam a ir ao tribunal de saias curtas e justas para revirar a cabeça do juiz da 10 secção. “sinceramente só em Moçambique acontece isto”.

O pais é vasto e tem muitos problemas e não se entende como é que a PGR concetra-se só em Nini Satar até ao ponto de fazer comunicados de imprensa. Recordem-se que quando foi detido Danish Satar a PRG da Cidade de Maputo fizeram comunicados deste género para desviar atenções da Ematum, MAM e Proíndicus depois calaram-se quando Danish saiu pela porta principal a mando do tribunal supremo.

Hoje dia 26 de Abril queria apelar aos meus amigos, fãs e familiares que tudo isto não passam de invenções com o próposito único de me denegrir e distrair a opinião pública sobre os reais processos que a PGR tem que trabalhar.

Também dizer que todos os documentos que são “vazados” da procuradoria, como por exemplo, quebra de sigilos bancários e alguns documentos confidencias que nem podiam estar na imprensa, são entregues aos órgãos de comunicação social pelas procuradoras chefes, para mostrar ao povo que a procuradoria esta a trabalhar, mas no fim de tudo isto a montanha vai parir mesmo um rato. Não há ninguém que vai ficar preso. Porque a nossa procuradoria é liderado por mulheres sem garras e só estão la para inglês ver.

E a terminar quero agradecer a todos que me felicitaram pelo meu aniversario, tanto por e-mails, whatsapp, sms e nas redes sociais.

Mais uma vez venho dizer dos Grandes é que se falam e dos pequenos nunca

Nini Satar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *