// ESPACO DE ANUNCIOS

PRM acusa Médicos tradicionais como mentores de assassinatos de “CARECAS”

A Polícia moçambicana (PRM) aventa a possibilidade de os médicos tradicionais serem coniventes no assassinato de três pessoas portadoras de calvície, vulgarmente chamados de careca, ocorrido semana finda no distrito de Morrumbala, província central da Zambézia.

O facto foi avançado hoje, em Maputo, pelo porta-voz do Comando-Geral da PRM, Inácio Dina, durante o habitual briefing semanal, à imprensa, sobre as actividades operativas da corporação.
Dina disse não saber as reais causas que moveram o assassinato dos carecas.
Do trabalho que está sendo realizado, a incidência vai para os médicos tradicionais, afirmou Dina, sublinhando ser interesse da PRM identificar os envolvidos, para responsabiliza-los.
Aventou ainda a hipótese de o assassinato de indivíduos carecas poder estar associado a fenómenos culturais.
Os indivíduos com calvície poderiam estar sendo perseguidos porque tinham algum suposto poder e que se se transferisse esse poder para outros indivíduos daria um certo enriquecimento. É um pensamento bastante errado, frisou.

Por isso, para apurar as verdadeiras causas, segundo o porta-voz, a corporação está a efectuar uma profunda investigação social junto das comunidades locais.
Há um aprofundamento que está sendo feito para perceber a dimensão deste caso que pode levar a que indivíduos de careca sejam perseguidos e retirados a vida, assegurou.
Citado pela Rádio Moçambique, a emissora pública de radiodifusão, o comandante distrital da PRM em Morrumbala, Afonso Dias, confirmou a detenção de dois indivíduos em conexão com os três casos registados.
Na ocasião, Dias afirmara que fontes locais dizem que todo o homem portador de careca na sua cabeça tem ouro, o que técnica e cientificamente, não podemos aceitar.
A perseguição aos indivíduos com calvície é uma prática nova em Moçambique.
Num passado muito recente, o país viveu situações em que cidadãos com albinismo eram perseguidos e mortos, acreditando-se que o objectivo era alimentar crenças supersticiosas.
Ac/dt
AIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *