“Fazem desmandos porque sabem que não serão responsabilizados”

Loading...

Texto: Maidone Capamba

“É com muita dor e consternação que recebemos a triste notícia, até agora não acreditamos o que aconteceu. Na saída do Aquaparque perdemos minha cunhada (Anita Luísa Bahane, 24 Anos) e minha sobrinha (Dayane Sergio Ruco, seis Anos de idade) mãe e filha respectivamente, escreveu inconsolável Lilinha Rogério, numa rede social.

É, de resto, um sentimento de indignação, dor e luto, que certamente é partilhado por muitas outras famílias que perderam os seus ente queridos na fatídica noite de Sábado, quando estes saiam do Festival Lizha Só Festas.

A polícia referindo-se a este incidente avançou que haviam perecido, no local, três adultos de aproximadamente 75, 60 e 45 anos de idade e dois menores de 7 e 12 anos de idade, entretanto as declarações desta cidadã vem contrariar com os dados oficiais preliminares, uma vez que Anita Luísa Bahane 24 Anos e Dayane Sérgio Ruco seis anos de idade, à data dos factos residentes no bairro do Albazine na cidade de Maputo, entram também para as estatisticas das mortes.

A angústia de quem precocemente perdeu seus ente queridos é ainda agravada pela falta de moralidade, por parte da organização do evento, a “Lizha Só Festas”, que mesmo com a seringa no rabo, se desdobrou nas redes sociais a justificar que o incidente aconteceu fora do Aquaparque, aparentemente, tentando fugir das suas responsabilidades, numa altura em que as autoridades de justiça encontram-se a investigarem o caso.

“Perdemos nossos ente queridos, mas a organização do evento só está preocupada em escrever barbaridades nas redes sociais. Porquê correr para redes sociais?”, questionou a fonte que temos vindo a citar, chamando à razão ao promotor do evento para que respeite a dor das famílias, em particular a sua.

A fonte pede que haja responsabilização, concluindo que neste momento de dor não se sabe se a família chora pela perda ou devido a indignação pelas mentiras envoltas ao incidente.

“Saibam assumir as vossas responsabilidades”, desabafou a fonte, salientanto que “nenhum dinheiro irá restituir a vida delas”, em referencia a cunhada e sobrinha, esta última cujos sonhos foram interrompidos seis meses depois de ter ingressado na escola primária onde ia aprender a ciência e atécnica para desafiar o fututo.

É caracretizada como uma criança alegre e muito inteligente e no dia do fatídico espetáculo, estava muito feliz por aquele momento especial de festa pela ocaisião da passagem do dia internacional da criança, que viria a ser o seu último  no mundo dos vivos.

“Fazem desmandos porque sabem que não serão responsabilizados”

A fonte que temos vindo a citar, aproveitou a ocasião, para pedir a producao do espectáculo para não se preocupar apenas com as pessoas na hora de entrar no show, mas também com a sua segurança na hora da saida.

“Essa deixa é para todos os organizadores de eventos que vezes sem conta fazem desmandos a belo prazer, com a confiança de impunidade, pois sabem que as autoridades não lhes irão responsabilizar”, desabafou.

Uma outra fonte da mesma família disse ao Dossiers & Factos, que nesta segunda-feira, finalmente, a organização do evento decidiu apoiar a família enlutada com urnas, transporte para o cortejo fúnebre e uma cesta básica. As cerimónias fúnebres estão agendadas para esta quarta-feira de manhã no cemitério de Michafutene.

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *