Terroristas atacam mais um distrito em Nampula

Loading...

Mais um distrito registou um ataque na província de Nampula. Trata-se de Memba. Até ao princípio da noite desta terça-feira, não havia registo de mortos, nem feridos, mas os residentes afirmam que os terroristas incendiaram casas e saquearam bens da população.

Memba é o segundo distrito que regista uma incursão terrorista na província de Nampula. Na noite da última sexta-feira, o povoado Kutua, no distrito de Eráti, foi atacado e, na madrugada de domingo, foi a vez na aldeia de Naminhanha, no distrito de Memba.

Até ao princípio da noite desta terça-feira, não havia relatos de pessoas mortas nem feridas, sendo que os terroristas incendiaram casas e saquearam bens da população, com destaque para produtos alimentícios.

O local, que foi alvo de ataque, no distrito de Memba, fica próximo do povoado de Kutua, no distrito de Eráti, o que faz crer que é o mesmo grupo que está em movimento.

As Forças de Defesa e Segurança estão no terreno, mas há dificuldades para localizar o grupo porque se meteu numa mata densa ali existente.

Com esta escalada de violência, as três províncias do Norte de Moçambique (Cabo Delgado, Niassa e, agora, Nampula) ficam no mapa vermelho, registando situações de perturbação da ordem pública devido a ataques terroristas.

Com o agravamento da onda terrorista em Cabo Delgado, nos últimos anos, a província de Nampula passou a receber várias populações deslocadas, que procuravam por um lugar seguro e tranquilo para viver. No entanto, na última sexta-feira, o alerta foi dado na província com maior densidade populacional do país.

A província de Nampula registou o primeiro ataque terrorista na última sexta-feira. Nesse dia, igualmente, não houve vítimas mortais ou feridas, mas os terroristas incendiaram um centro de saúde, uma escola e destruíram residências das populações locais. Desde que se iniciaram as incursões terroristas na província de Cabo Delgado, em 2017, Nampula nunca tinha registado um ataque terrorista. Entretanto, num intervalo de quatro dias, já são os ataques perpetrados em dois distritos.

Eráti, o primeiro distrito atacado pelos terroristas em Nampula, para quem sai de Cabo Delgado e segue pela Estrada Nacional Número 1, é o primeiro distrito, pelo que é o mais próximo da zona com histórico de ataques terroristas que se iniciaram a 5 de Outubro de 2017.

Segundo apurou o jornal “O País” à população, os malfeitores entraram no povoado de Eráti por volta das 15 horas, posicionaram-se sem criar alaridos e, por volta das 22 horas, começaram a incendiar casas; fizeram o mesmo no posto de saúde local (que ficou totalmente destruído) e atearam fogo, igualmente, num bloco de salas de aula de uma escola construída com base em material local.

 Poucos dias depois desse primeiro registo terrorista, o pânico voltou a um distrito vizinho, Memba, deixando a população sem onde morar.

Portanto, todas as províncias do Norte de Moçambique registaram, em momentos diferentes, ataques terroristas.

O segundo ataque terrorista à província de Nampula acontece num contexto em que Moçambique irá receber, entre 8 e 9 deste mês de Setembro, o Alto-representante da União Europeia (UE) para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell.

Borrell visitará a missão de treino militar da União Europeia em Moçambique e participará numa cerimónia de entrega de equipamento militar financiado pelo Mecanismo Europeu de Apoio à Paz.

Durante a sua deslocação, o chefe da diplomacia europeia tem previstos encontros com o Presidente da República, Filipe Nyusi, e com a ministra dos Negócios Estrangeiros, Verónica Macamo, na quinta-feira.

Na sexta-feira, Josep Borrell visitará a missão de treino militar da União Europeia em Moçambique (EUTM), na KaTembe, e participará numa cerimónia de entrega de equipamento militar financiado pelo Mecanismo Europeu de Apoio à Paz, junto ao director-geral do Pessoal Militar da União Europeia (EUMS) e responsável máximo das missões militares da UE, vice-almirante Hervé Bléjean.

Ainda na sexta-feira, Borrell reunir-se-á com o ministro da Defesa Nacional, Cristóvão Chume, e visitará um projecto de cooperação financiado pela UE.

Além da União Europeia, na visita do Primeiro-ministro português, António Costa, ao país, semana passada, Portugal reafirmou a disponibilidade de colaborar com Moçambique em questões de Defesa e Segurança, o que poderá ser um factor determinante para as autoridades nacionais combaterem o terrorismo no Norte.

Opais

Jacinto G. Manusse

É um Empreendedor e Consultor de Marketing Digital que dedica a sua vida à produção e partilha de conteúdos de grande qualidade, contando já com alguns dos mais reconhecidos blogs em Moçambique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *